Ratatouille: filme e receita!

Imagem

Que filme mais gracioso, eu já assisti umas 4 vezes e cada vez que assisto gosto mais.

O filme narra a história de um rato que sonha em ser chef de cozinha, apesar da oposição de sua família, e claro, o evidente problema de ser um rato em uma profissão que detesta os roedores! O destino leva Remy (o ratinho em questão) a um famoso restaurante parisiense onde ele viverá muitas aventuras em torno da arte de cozinhar!

Imagem

Ratatouille é um dos maiores sucessos da produtora Pixar, e ganhou o Óscar 2007 de melhor filme de animação, além de outros prêmios.

Imagem

 

Ratatouille é o nome de um prato bem popular da culinária francesa do século XVIII, é um prato rústico, típico da região da Provença, com influências espanholas e italianas. O nome significa «picar, triturar», é um prato que se pode comer quente ou frio, de acompanhamento ou sozinho.

Segue a receita!! É simples de fazer e super saudável! 

 

Ingredientes:

– 4 colheres (sopa) de azeite
– 3 dentes de alho picados
– 1 kg de tomate fresco picado
– 2 cebolas roxas cortadas em cubos 
– 3 pimentões vermelhos cortados em cubos
– 2 berinjelas cortadas em cubos 
– 4 abobrinhas cortadas em cubos 
– 15 g de orégano fresco 
– Salsa picada
– Sal e pimenta-do-reino 

Modo de Preparo:

*Preaqueça o forno a 180ºC. Coloque o azeite, o alho, o tomate e os vegetais numa assadeira. Misture, tempere com sal e pimenta e asse por 45 minutos, até ficarem macios.

*Depois regue com azeite e tempere com o orégano e a salsa.

Está pronto o seu ratatouille!

 

 Imagem

Anúncios

restaurante Jean François Piège – Paris

Esse foi o último restaurante que visitamos na nossa viagem rápida à Paris. Confesso que não gostei muito, achei muito “pomposso”, caro e a comida típica de alguns restaurantes gastronômicos, que te servem pratos esquisitos, e se acham de vanguardia.
Mas como o Sergio queria muito provar o que estava fazendo o tal do chef Jean François Piège – ele foi chef de partida do Ducasse, na época que o Sergio trabalhava lá, – fomos almoçar nesse restaurante que está na moda em Paris.

Entrada

O pão era realmente maravilhoso

Verduras com massa de leite de ovelha

Esse prato eu gostei muito: caviar com creme de abobrinha e purê de batata

Lagosta - sem graça

Vitela com batata

Queijo frânces - bom demais!

Ilha flotante - sobremesa de caramelo

Adorei o banheiro

A decoração é bem interessante - foi o que eu mais gostei!

Restaurant de JEAN-FRANÇOIS PIÈGE
79 Rue Saint Dominique
00 33 1 47 05 79 79
Fechado sábado e domingo.

Mercado das Pulgas de Paris

Quase como um aglomerado de brechós, o Marche Aux Puces ou Mercado de Pulgas é o local onde se comercializam artigos antigos, usados ou de fabricação artesanal, geralmente feitos pelo próprio vendedor.
A história do mercado das pulgas começa no final do século XIX, naquela época, o Conselho de Paris decidiu que os ambulantes não podiam mais trabalhar no território da cidade; estes, tiveram que se transladar aos municípios vizinhos, às portas da capital.
Então, o município de Saint-Ouen (onde está o mercado das pulgas) começou a organizar essa grande feira livre: publicou a primeira regulamentação do mercado, pavimentou as ruas principais e construiu novas calçadas.
No início do século XX, vários jornais publicaram histórias sobre o mercado, não demorou muito para o mercado se popularizar e atrair o interesse de colecionadores e visitantes.
Hoje o mercado, ocupa sete hectares, possui 2.500 lojas e está aberto sábados, domingos e segundas-feiras. Atrai mais de 100.000 visitantes por fim de semana, e o mais importante: em 2001 foi declarado “Zona Urbana do Patrimônio Arquitetônico”, ou seja, qualquer transformação imobiliária, terá que respeitar a identidade desse mercado – o maior da Europa.
Eu amei conhecer o Mercado das Pulgas, um lugar pitoresco, onde se encontra bons produtos a preços excelentes; e os comerciantes parecem personagens saídos de obras de teatro do século XIX!
Almoçamos em um restaurante, infelizmente não me lembro do nome (a maiorida dos bistrôs do mercado são parecidos), foi um delicioso almoço de domingo, com direito a muita comida, vinho e crepe de nutela de sobremesa!
Para mim, o melhor dia em Paris!

Mercado das pulgas - que lugar original!

Você pode encontrar marcas como: Gucci, Hermés, Prada, e por aí vai...

Sergio, Leandro e Leyla

Santé!

Santé!

Ostras

Mexilhão com batata-frita, um clássico frânces

Bruscheta de queijo e jamón

filet com salada

Queijos

Detalhe: quase todos os comerciantes tem cachorro! Olha que lindo!

Eu fiz xixi aí - esse era o banheiro do local!

Crepe de nutela

Paris é uma cidade romântica, e por isso dedico essas fotos ao amor!!

Agradecimento ao Leandro - o fotógrafo!

Mercado das Pulgas
Avenue de la Porte de Clignancourt, 18º arrondissement.
Horário: funciona às segundas, sábados e domingos, das 9 às 18h30.
Como chegar: metrô Porte de Clingnancourt (linha 4) e ônibus 56, 60, 85, 95, 137, 166, 255.
Website: http://www.marchesauxpuces.fr/index.php?menu=plan

Bistrô Cinq Mars – Paris

Fomos ao Cinq Mars, por indicaçao de um crítico gastronômico amigo do Sergio, foi um dos melhores restaurantes que visitamos em Paris.
É um bistrô charmoso, bem localizado (está perto do museo d’Orsay), e oferece um menú clássico com um toque moderno: excelente guisados, carnes e saladas; uma boa seleção de vinhos; e um ambiente rústico e acolhedor.
Buscando informação sobre o bistrô na internet, descobri que até a irmã da princesa da Inglaterra, a Pippa Middleton, frequenta o Cinq Mars. Très chic!!!!!

Quero agradecer ao grande fotógrafo Leandro Armani, que fez essas fotos lindas da nossa viagem gastronômica!

Sergio, Leyla, Eu e Leandro

Tentando entender o cardápio - Sergio ajudou bastante!

Foie gras com geléia de ave e ameixa

polvo com vinagrete de limão e coentro

patas de rã com alho e salsinha

Salada com filet de carne

Mexilhao a Marinera

linguiça com purê de batata

costela de cordeiro com abobrinha

abricó com baunilha e coalhada

clos de grives 2004

Cinq Mars (fica pertinho do museo d’Orsay)
51, rue de Verneuil, Paris
7/+33 1 45 44 69 13/
Fechado domingo e segunda-feira.

Macarons Ladurée

Não tem como ir a Paris e não provar os famosos macarons da tradicional pâtisserie Ladurée – fundada em 1862.

Ladurée um clássico em Paris

Essa delícia francesa a base de amêndoas tem quase 500 anos. Na verdade, o macaron saiu da Itália no século 16 quando a rainha Catarina di Médici mudou-se para a França – era chamado de o “Doce da Rainha”.
Mas foi em 1930 que Pierre Desfontaines teve o insight de unir dois desses merengues (“bolachas”) com um creme a base de manteiga, ganache, ou ainda geléia e assim criar os famosos macarons Ladurée – desde então a receita nunca foi alterada.

Macarons

E a cada estação do ano, Ladurée presta homenagem ao macaron, criando um novo sabor.
Cada nova criação é sempre baseada nos outros, trabalhando tanto com cores diferentes quanto o sabor. Segundo Ladurée, a cor é um efeito essencial para a sedução.

vários sabores

Curiosidades:

-Este bolo doce redondo, pequeno, crocante por fora e macio dentro, é feita todas as manhãs no laboratório da Ladurée.

-Para adquirir a crocância desejada, os macarons Ladurée repousam por 48 horas antes de irem para os balcões de venda.

-A pâtisserie foi responsável por fazer todos os doces do filme Maria Antonieta, da Sofia Coppola.

-As lojas Ladurée vendem 20.000 macarons a cada dia

-13 sabores diferentes ao longo do ano, mais seis sabores sazonais (exemplo: caramelo salgado, manjericão, limão, etc)

-Mais de 3.000 clientes passam pela loja a cada dia – as filas são imensas!

Nessa minha passagem por Paris, claro, fui a Ladurée, tomar um delicioso chá da tarde enquanto me deliciava comendo 4 macarons de diferentes sabores!

Chá de baunilha

Café, chocolate, pistache e caramelo

Ladurée Champs Elysées

75, avenue des Champs Elysées – 75008 Paris
Tél : +33 1.40.75.08.75

Essa fila até que estava pequena!

Paris – Le Baratin

Nada melhor do que passar o aniversário em Paris, ao lado do marido, de queridos amigos e comendo em lugares incríveis. Foi assim meu cumpleaños de 34 anos, comemorado esse último final de semana. Tivémos a sorte – e também indicação de amigos – de comer em restaurantes bons e com preços bem agradáveis.
A moda agora em Paris -, e que já está se espalhando pelo mundo – é o conceito de Bistronomic (bistro econômico): alta cozinha a preços baixos, num ambiente urbano, informal mas sério; onde se aprecia a criatividade culinária e de vanguardia.
Muitos chefs de alta cozinha, como: Paul Bocuse, Alain Ducasse, Alain Senderens, entre outros, aderiram a esse movimento de oferecer boa comida a preços mais democráticos.
Nosso primeiro jantar, depois de subirmos a Torre Eiffel – que vista mais linda! – foi o bistrô Le Baratin. Está localizado um pouco longe do centro de Paris, não faz parte do circuito da moda – por isso mesmo eu adoro – , os únicos turistas éramos nós.

A Torre Eiffel e Eu

A vista lá de cima

Le Baratin

O cardápio

O balcão

Adorei essas jarras de água

Leandro, Eu e Sergi

Leylinha e Leandro

Santé!

Alcachofra com foie gras

Sopa de pescado

Tartar de corvina

Eu não sou muito de carne, mas essa bochecha de boi com verduras, estava dos Deuses!

pularda pochada – traduçao: ave selvagem com verduras cozidas dentro de um caldo.

Torta gelada de chocolate meio amargo
Detalhe da cozinha: só cabe a chef!

Vale muito conhecer esse encantador bistrô parisiense, os pratos são deliciosos, o ambiente um charme e o preço super justo…justíssimo!

Le Baratin
3 Rue Jouye Rouve
75020 Paris, Francia
01 43 49 39 70